NewsRoom

Entrevistas

Entrevistas .

TV Zimbo .

By Isabel dos Santos .

Angola precisa de pontes e parcerias para crescer

TV Zimbo – Temos a Eng.ª Isabel dos Santos, boa noite para si. Pergunto-lhe o que é que esta Cimeira [Russia-Africa Summit] pode representar para o continente berço?

Isabel dos Santos – Olá Tatiana Reis, boa noite. Boa noite Angola e boa noite Luanda aqui da Rússia, de Sochi. Realmente é um prazer estar cá e esta Cimeira é algo que eu acredito que vai mudar as relações entre a Rússia e África, sobretudo no que diz respeito aos investimentos e nas parcerias que possam fazer crescer o nosso continente.

TV Zimbo – Não é a primeira vez que acontecem estas Cimeiras mas o facto é que em termos de resultados concretos, pouco ou nada se vê. Pergunto-lhe em que medida esta Cimeira vai ser diferente das outras?

Isabel dos Santos – Não há dúvida que é sempre muito difícil passarmos da teoria para a prática, não é? E aí, como é que se constrói relações, como é que realmente as pessoas conseguem fazer parcerias, como é que as empresas se conseguem afirmar no território africano. Por exemplo, como é que uma empresa russa pode trabalhar em Angola, ou como uma empresa angolana pode trabalhar na Rússia. Não são coisas fáceis, mas este tipo de Cimeira é muito importante porque abre o diálogo. Começamos a conversar, começamos a ver como é que nós nos podemos relacionar uns com os outros e qual o quadro legal que é necessário, mas também que tipo de financiamentos e que tipo de apoios pode haver para as empresas que queiram fazer parcerias.

TV Zimbo – Neste momento, Angola ainda tem sérios problemas de base como energia eléctrica, água, como atrair de facto investimento estrangeiro.

Isabel dos Santos – Nós vimos, por exemplo, um projecto como o Capanda, que foi feito há duas décadas atrás com a participação de empresas russas e, efectivamente é uma grande central de produção de energia e não há dúvidas que a Rússia tem tecnologia e tem know-how. Portanto, sabe construir barragens e pode ser um bom parceiro no sector eléctrico, por exemplo, em Angola.

TV Zimbo – Mas nesta Cimeira o que Putin quer com Angola é uma maior cooperação no domínio do sector diamantífero.

Isabel dos Santos – Eu acredito que há vários desafios que foram lançados. Com certeza o sector mineiro para a Rússia é um sector chave. É também um dos sectores onde a Rússia tem mais know-how, ou seja, tem uma grande experiência efectivamente no sector mineiro, mas não é o único. Hoje o Presidente Putin lançou um desafio que é duplicar ou triplicar o volume de negócios entre África e a Rússia. Ora, hoje ele situa-se à volta de 17 mil milhões. Portanto, está a ver, triplicar significa irmos para 40, 50 mil milhões e isto num espaço de tempo muito muito curto.

TV Zimbo – Agora a Rússia perdoa 20 mil milhões de dólares de dívida a África, mas a que preço?

Isabel dos Santos – Bom, eu, efectivamente, não conheço os detalhes do perdão da dívida. Eu acho que não há dúvida que nós temos dívidas muito elevadas nos nossos países. Uma parte dessa dívida não está bem estruturada. É dívida que não nos permite crescer, que não nos permite investir mais e, claro que quando há um acordo, há uma vontade de um país perdoar dívida, eu acho que isso é sempre bem-vindo. O que eu gostaria de ver realmente é investimento em sectores produtivos, sectores que criem emprego e sectores sobretudo que deem oportunidade para as empresas angolanas poderem vender produtos e prestarem serviços.

Para mim, realmente não há projecto que eu goste mais do que realmente nós sermos auto-suficientes em comida. Sermos capazes de produzir aquilo que precisamos de comer. Ou seja, a Agricultura. E o que eu gostava de ver é, efectivamente, algumas parcerias entre a Rússia e Angola, no sentido de nos ajudar a desenvolver o sector agrícola.

TV Zimbo – Esse interesse da Rússia para com o continente africano, deve-se à presença chinesa e norte-americana? Há uma ligação?

Isabel dos Santos – A Rússia sempre foi um país muito próximo de Angola. Se nós lembrarmos o ponto de vista histórico, a União Soviética já tem ligações históricas com Angola desde a nossa Independência, no fundo, não é? Portanto, eu acho que isto hoje não é de espantar. Eu acho que a Rússia moderna tem uma economia diferente, são outros desafios, mas a Rússia hoje tem tecnologia, principalmente por exemplo no ramo da Informática também. São tecnologias muito muito avançadas e realmente nós podemos ter um benefício neste tipo de parceria.

TV Zimbo – Para além deste benefício ou benefícios de que me falou há pouco, olhando agora para os investimentos para o nosso país, é possível neste momento falarmos de prioridades. Para si, onde é que devemos começar a atacar? O que é que seria prioridade para si?

Isabel dos Santos – Olhe, para mim, realmente não há projecto que eu goste mais do que realmente nós sermos auto-suficientes em comida. Sermos capazes de produzir aquilo que precisamos de comer. Ou seja, a Agricultura. E o que eu gostava de ver é, efectivamente, algumas parcerias entre a Rússia e Angola, no sentido de nos ajudar a desenvolver o sector agrícola. E vou dizer uma coisa muito concreta, por exemplo, ajudar-nos a ter mais terras irrigadas. Ou seja, desde o projectos de irrigação até ao projecto de preparação de terras e a transferência de alguma tecnologia também para o plantio de cereais.

TV Zimbo – Tem alguma expectativa em relação ao discurso do Presidente João Lourenço amanhã, ali em Sochi?

Isabel dos Santos – Vamos aguardar e esperemos efectivamente que daqui se construam as pontes e as parcerias que Angola precisa para crescer e para que nós, os jovens todos, possamos ter aquela terra que desejamos com emprego, com casa, saúde e habitação.

TV Zimbo – Eng.ª Isabel dos Santos, foi um prazer tê-la aqui em directo no Jornal da Zimbo.

Isabel dos Santos – Muito obrigada.

TV Zimbo – Boa noite, até uma próxima oportunidade.

Isabel dos Santos – Boa noite, boa noite Angola. Obrigada.