NewsRoom

Entrevistas

Entrevistas .

WOMEN EMPOWERMENT .

By Isabel dos Santos .

As Mulheres podem mudar o mundo

As mulheres podem mudar o mundo. Foi com esta convicção que mais de 200 pessoas ligadas ao sector empresarial, reuniram em Lisboa em torno das questões de mobilidade e inovação. Uma reflexão promovida pela Federação das Mulheres Empresárias e Empreendedoras da CE-CPLP, que contou com a presença da Eng.ª Isabel dos Santos.

Zap Viva: De que forma é que as mulheres têm quebrado os paradigmas deste sistema, de mobilidade e também de inovação?

Isabel dos Santos: Olá a todos. É um prazer estar hoje, aqui, na Zap e especialmente com Victor Hugo Mendes. É a primeira vez que temos a oportunidade de falar, portanto estou bastante ansiosa para ter esta conversa contigo. Sobretudo, um tema que me passional que é o tema sobre mulheres, empresárias, o empreendedorismo e a mobilidade. Portanto, para mim, não podia haver um Fórum melhor porque, realmente, reúne coisas das quais eu gosto e com as quais eu me identifico muito.

Zap Viva: Acha que, se de facto houvesse uma maior mobilidade nos nossos países, as mulheres podiam melhor contribuir para o desenvolvimento destes países da CPLP?

Isabel dos Santos: Sem dúvida que, para nós termos laços entre Angola, Moçambique, Brasil, Cabo Verde, Guiné é importante nós podermos viajar para esses países. Porque quando se diz mobilidade, no fundo o que estamos a dizer é os empresários, os investidores, sejam eles homens ou mulheres, poderem livremente trocar experiências, mas também trocar negócios, poderem estar presentes, poderem interagir. E criando-se um clima, mas isto já é um clima, digamos assim, de governação que permita com que estes países se aproximem, eu acredito que isto se vai traduzir num mercado muito muito maior. Ou seja, um mercado que fala Português, o que nos aproxima muito.

Zap Viva: E de que forma acha que as mulheres, apesar de todas essas dificuldades, têm quebrado os paradigmas, precisamente para que haja maior mobilidade?

Isabel dos Santos: As mulheres, eu gosto que pensar que são verdadeiras gestoras porque nós, no fundo, temos um papel quase que duplo na vida, não é? Por um lado, somos mães. Portanto, temos que aprender a gerir a casa, a gerir o horário dos nossos filhos, a tentar gerir o nosso lar. Mas por outro lado também temos uma carreira, uma vida profissional e temos de ter o nosso ganha pão, como é que nós vamos ganhar dinheiro para ajudar a suportar as nossas famílias. Então temos uma dupla responsabilidade. E estas duas responsabilidades, no fundo, fazem com que a mulher seja um ser bastante completo, no fundo. Porque temos um lado humano, de estar sempre preocupados com algo sustentável. Ou seja, queremos criar empresas, queremos criar negócios, oportunidades que sejam sustentáveis, que sejam positivas para a sociedade. Mas, por outro lado, também temos consciência que são coisas que têm que ser úteis, têm que ser rentáveis, têm que criar lucro porque é através destes lucros que nós vamos poder investir, não só nosso negócio, mas também melhorar a própria vida e condições das nossas famílias, das nossas crianças e da sua educação.

Zap Viva: E o que é que nos pode falar relativamente a inovação? Nas suas empresas muito em particular.

Isabel dos Santos: Eu, a primeira coisa que gosto de dizer é o seguinte: Inovação é um bocadinho diferente de invenção. É, no fundo, olhara para aquilo que a gente faz no dia-a-dia e ver “eu consigo melhorar algo”, “consigo introduzir algo aqui que faça diferença”. E muita da motivação da inovação tem a ver com querer ter soluções que são melhores para o mundo.

Zap Viva: Há, da parte da juventude angolana de um modo em particular, uma ansiedade muito grande por novidades. Qual é a mensagem que deixa para os jovens que estão em Angola à procura de emprego, para as mulheres que têm estado a empreender, que vivem as suas dificuldades de um modo particular?

Isabel dos Santos: Angola é um país com imenso talento. Eu gosto de dizer que os jovens angolanos têm talentos e recursos realmente formidáveis. Eu acho que, se calhar, as mulheres vão ter um papel extremamente importante. Primeiro porque elas vão educar também os rapazes que vão ser empreendedores. Portanto, começa u, bocadinho por inspirar os nossos filhos lá em casa a terem confiança em si próprios e deixar os nossos filhos terem imaginação.

Zap Viva: Eng.ª Isabel dos Santos, muito obrigado por esta entrevista, à margem, deste Fórum sobre Mobilidade e Inovação que decorreu aqui, em Lisboa, organizado pela Federação das Mulheres Empresárias e Empreendedoras da Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Quando se faz algo relevante e algo único, isto sempre se transforma em valor. Portanto, vão para a frente e mudem o mundo. Muito obrigada a todas.