NewsRoom

Entrevistas

Entrevistas .

SPIEF 2019 .

By Isabel dos Santos .

Educação é o sector mais inovador

A Sputnik acompanhou uma sessão empresarial Rússia-África realizada no âmbito do Fórum Económico Internacional de São Petersburgo (SPIEF) e falou com a empresária angolana Isabel dos Santos sobre as perspectivas de cooperação económica russo-angolana.

Em Abril, o presidente de Angola, João Lourenço, realizou uma visita oficial a Moscovo, onde declarou a importância de ampliar a cooperação económica com a Rússia. O presidente russo Vladimir Putin declarou por sua vez, que Moscovo espera promover relações bilaterais com Luanda nas várias esferas.

No âmbito da visita de Lourenço à Rússia foi realizado o fórum económico russo-angolano, do qual participaram cerca de 130 empresários angolanos e mais de 400 empresários russos, que mostraram seu interesse na cooperação com Angola e em investir na economia do país africano.

A empresária e a chefe de conselho de administração da operadora angolana Unitel, Isabel dos Santos, deu sua opinião sobre perspectivas de cooperação entre a Rússia e Angola.

“Acredito que há um grande potencial nas relações entre a Rússia e Angola, sobretudo porque no passado algumas empresas russas já investiram em Angola. Temos exemplos de sucesso, por exemplo a Alrosa [gigante russa do sector de diamantes] que tem um projeto de mineração muito importante em Angola, o projeto grande em nível mundial”, declarou à Spuntik Brasil.

Isabel dos Santos sublinhou que, embora Angola esteja buscando investimentos estrangeiros, o país precisa da cooperação de longo prazo com seus parceiros que deveria ser mutualmente vantajosa.

“Precisamos realmente de investimentos, mas sobretudo precisamos de intercâmbio dos investimentos sustentáveis. Esses investimentos fazem sentido para os parceiros, para as empresas russas, mas também para investidores e parceiros angolanos. Acho que pode ser encontrar o equilíbrio que realmente conte pontos de interesse de ambas as partes e em cima desse interesse de negócios construir uma cooperação económica mais forte e mais sólida entre os dois países”, disse a empresária.

Hoje em dia, a maioria dos investimentos russos na economia angolana é canalizada ao sector energético e indústria de mineração. Entretanto, a situação econômica moderna exige cooperação nos setores mais inovadores. Para Isabel dos Santos, no caso da Rússia, poderia se tratar de investimentos das empresas russas no sector de educação angolano.

“Para mim o sector mais inovador é na esfera de educação. Talvez essa resposta pareça um pouco estranha, mas eu acredito que nós temos de inovar muito a formação. Não estou a falar de alfabetização, estou a falar efectivamente da educação, por exemplo, informática, de pessoas que dominam sectores técnicos porque sem quadros é muito difícil irmos para quarta revolução industrial, para digitalização. A Rússia, por sua vez, tem empresas fortes de desenvolvimento de software, em sector informático e realmente pode haver cooperação forte e investimentos por parte das empresas russas, mas também por parte de empresários angolanos no sector”, disse ela.

O Fórum Económico Internacional de São Petersburgo (SPIEF) aconteceu entre os dias 6 e 8 de junho. O evento, realizado anualmente, tornou-se um dos maiores espaços para comunicação entre empresários e para discussão dos principais desafios económicos globais.