NewsRoom

Entrevistas

Entrevistas .

Thriving Network .

By Isabel dos Santos .

Nós africanos somos donos das nossas próprias soluções

Isabel dos Santos – As pessoas que realmente vão mudar África são os jovens com ideias, energia, tempo e vontade. Ou seja, ainda têm toda essa energia e todas essas ideias para fazer a diferença, e isso é óptimo. Quando vemos como a nossa população vai crescer nos próximos 20 anos, vamos duplicar. Portanto, se pensar em uma cidade como, digamos, Joanesburgo, será o dobro.

Thriving Network TV – Isso é grande.

Isabel dos Santos – Vai ser ainda maior.

Thriving Network TV – Uau.

Isabel dos Santos – E então um jovem de um continente, de uma cidade ou de um país que vai duplicar pensa: “o que é que eu posso fazer? Quem é que eu vou ser? Qual é a diferença que eu posso fazer? ”Eu digo sempre que se encontrar algo que seja significativo, que realmente representa algo para alguém; se arranjar uma solução que outra pessoa valorize, pode ganhar dinheiro com isso. Porque, no final de contas, os negócios envolvem ganhar dinheiro. A sua empresa precisa de ganhar dinheiro, para sobreviver e crescer.

As pessoas que realmente vão mudar África são os jovens com ideias, energia, tempo e vontade. Ou seja, ainda têm toda essa energia e todas essas ideias para fazer a diferença, e isso é óptimo.

Thriving Network TV – Isso é tão verdade. Falou muito sobre como devemos adoptar a quarta revolução industrial na nossa realidade e aproveitar o que está actualmente à nossa volta e tirarmos partido disso. Os empreendedores perguntam-se, como me envolvo nesta quarta revolução industrial e capitalizo o que já está em meu redor?

Isabel dos Santos – Muitas pessoas vão falar sobre inovação e a parte terrível é que, para muitos de nós, inovação é fazer algo novo. Boa notícia, não é. Você não precisa de inventar nada. Inovar é pegar em algo que já existe, uma solução que já existe, e tornar a experiência dessa solução um pouco melhor.

Thriving Network TV – Referiu também que os negócios liderados por mulheres negras são a força que mais cresce na América. E realmente não estamos a assistir a isso em África, certo? Quais são alguns dos desafios que enfrentam algumas mulheres negras, especialmente empreendedoras, com base na sua experiência?

Isabel dos Santos – Absolutamente. Eu acho que as meninas têm que ser postas em primeiro lugar porque as meninas são mãe. Uma menina é mãe e uma mãe é como um livro para o seu filho. Então, quando uma criança é pequena, tudo o que elas aprendem é das mães. Portanto, se as mães não forem bem-educadas, elas não criarão uma sociedade bem-educada. Ou seja, a primeira chave é realmente levar as mulheres a serem bem-educadas, as meninas a serem educadas e depois capacitá-las. Uma das coisas que estamos a fazer na nossa empresa, por exemplo, é que metade das pessoas que trabalham connosco são raparigas, são mulheres. Outra coisa que fazemos é colocar as mulheres na liderança. Nós incentivamos realmente a tornarem-se directores … Directores que gerem mais de 30 a 50 pessoas. E dizemos “tu consegues! Sê confiante e vais conseguir ”.

Mas isto começa em casa. Isso é o que realmente me preocupa muito pois no nosso continente existem problemas muito pequenos, como o facto de as meninas não terem pensos higiénicos nas comunidades rurais. Então, quando elas não têm pensos higiénicos, elas na verdade não vão à escola.

Acho que cabe a nós, jovens africanos, resolver realmente isso. Porque só nós podemos conhecer os nossos próprios problemas e as nossas próprias soluções.

Você não precisa de inventar nada. Inovar é pegar em algo que já existe, uma solução que já existe, e tornar a experiência dessa solução um pouco melhor.

Thriving Network TV – Isso é tão verdade. E agora relativamente ao que mencionou sobre preparar as meninas desde o lar. Concorda que a orientação também é muito importante?

Isabel dos Santos – Eu acho que esses exemplos são realmente importantes. Quando comecei a trabalhar nos negócios, não comunicava muito. Hoje, muitos dos meus sobrinhos perguntam-me: “Tia, como é que de repente está nas redes sociais e a tirar fotografias de si mesma a ir a vários sítios?” Eu não comunicava. Não considerei que fosse importante, porque para mim o importante era construir um negócio sustentável, criar empregos, empregar pessoas e desenvolver a minha economia ”. E então comecei a perceber que, se eu pudesse inspirar outras pessoas, se eu me pudesse tornar um modelo para outras meninas, e se houvesse centenas de milhares de meninas como eu, poderíamos realmente fazer a diferença.

Thriving Network TV – É tão inspiradora e incrível… Apenas uma última pergunta. Qual seria o seu único conselho, que aprendeu com seu próprio mentor ao longo do caminho e o que recomendaria para inspirar outras pessoas?

Isabel dos Santos – Bem… Eu acho que teria dois conselhos importantes. Primeiro, que o negócio está em ganhar dinheiro. Ou seja, algumas pessoas abordam-me e dizem “ah, eu tenho uma óptima ideia de negócio”. E no final do dia eu digo “bem, e a sua ideia dá dinheiro?”. Se a sua ideia não dá dinheiro, não pode ser uma empresa. Portanto, confirme que pode ter uma ideia que realmente gere dinheiro. E a segunda coisa é não ter medo de cometer erros. Se falhar, tudo bem. Não há mal em falhar. Eu falhei muitas vezes. E ninguém nasceu grande. Eu não nasci com esta grande empresa atrás de mim, compreende? Nasci e tive que aprender a ler, a escrever, a trabalhar e a construir um negócio. Então, você deve pequeno e não ter medo de falhar.