Entrevistas .

Newsroom .

ENTREVISTA CGTN ÁFRICA .

Africa .

CGTN África Interview .

By Isabel dos Santos .

Um maior alinhamento entre o governo e as empresas é essencial

 
 

Numa empresa pública, a prioridade às vezes pode ser o desenvolvimento regional, o desenvolvimento estratégico ou a geração de emprego em certas zonas. Estão também muito mais alinhadas com as questões políticas. No caso do sector do petróleo e das suas oportunidades perguntou-me se podíamos fazer mais e melhor. A resposta é sim. Podemos definitivamente fazer mais e melhor. Isto pode ser conseguido ao sermos mais rigorosos na forma como investimos, enquanto governo, concessionários ou qualquer agente no sector do petróleo. Há que olhar atentamente para o sector do petróleo e estudar melhor as oportunidades antes de investirmos o nosso dinheiro. Reconhecer as melhores oportunidades, investimentos mais pequenos, retornos mais rápidos, riscos mais pequenos, para nos tornarmos mais resilientes e depois desenvolver estas oportunidades.

CGTN Africa – Angola está a passar por grandes reformas no sector do petróleo e gás. Qual é a sua opinião sobre como isso vai alterar a conjuntura da indústria?

Isabel dos Santos – O governo e uma boa governação são chave, são eles que criam o ambiente macroeconómico e precisamos que esse ambiente funcione. Questões orçamentais, planear cuidadosamente o orçamento. Reconhecer onde são necessários investimentos em infra-estrutura. O que às vezes acontece é que investimos em infra-estruturas, mas será que as estamos a colocar no sítio certo? Estamos a colocar essas infra-estruturas próximas de empregos e onde a comunidade empresarial precisa que elas estejam? Um maior alinhamento entre o governo e as empresas é essencial. Quando o governo está a desenvolver políticas, tem de criar políticas que façam sentido. Em termos de governo, as políticas governamentais são essenciais para criar o ambiente macroeconómico e ter um diálogo próximo entre o governo e a comunidade empresarial é muito importante.